1 mês pedalando em São Paulo

Passou bem rápido. Semana passada fez 1 mês que comecei a ir trabalhar de bicicleta.

Tenho que admitir que achei que seria mais fácil, mas, por vários motivos, não consegui pedalar todos os dias. Na verdade, em um mês, fui ao trabalho de bike apenas 6 vezes.

Como já disse, escolhi uma caloi 10 antiga para usar aqui em São Paulo. E não é que ela apresentou vários probleminhas? Primeiro, bem no dia que fui estreá-la, estourou a corrente. Depois, deu um pequeno problema no pé de vela e, uma semana depois, estourou um rolamento do cubo.
Além desses probleminhas técnicos, que demoraram alguns dias para arrumar, outras coisas também fizeram que eu não conseguisse ir todos dias pedalando ao trabalho: preguiça e também falta de acessibilidade. Admito que um dia ou outro acordei com preguiça de ir pedalando (principalmente por conta do frio), e infelizmente nem todos lugares que eu precisei ir eram acessíveis de bicicleta.

Apesar de tudo, comecei a mudar minha rotina e esse primeiro mês foi bem importante para eu mudar meus pensamentos e também descobrir coisas novas:

– Pedalar na cidade, ir para o trabalho de bicicleta, não é tão perigoso quanto eu achava e quanto as pessoas costumam achar.
– Comecei a pedalar querendo economizar tempo no trânsito e, na verdade, é mais rápido ir e vir de bicicleta do que de ônibus, até quando não se tem trânsito.
Os carros não costumam passar tão perto assim. Claro que um ou outro babaca acaba tirando fina ou buzinando, mas em sua maioria os motoristas costumam respeitar. Infelizmente, passamos riscos por conta desses poucos que não respeitam.
– Geralmente o carro que buzina ou tira fina irá ficar parado no trânsito poucos metros à frente.
– É ótima a sensação de ultrapassar os carros que estão parados no trânsito (principalmente se for o cara que buzinou).
– Pedalar faz com que eu chegue mais animado ao trabalho e também faz com que depois eu chegue sem stress em casa.
Poucos lugares estão preparados para receber ciclistas. E não estou falando só de lugares pequenos, mas sim de grandes supermercados e shoppings.
– As pessoas se interessam em saber como é ir e vir de bike, fazem várias perguntas,  porém muitos descartam a ideia por motivos como distância e segurança.
Usar o metrô pode ser uma mão na roda em dias de chuva, ou quando já é muito tarde. Porém os horários permitidos são muito ruins e a estrutura do metrô também não é tão preparada para receber ciclistas.
– O asfalto aqui em São Paulo é bem ruim, cheio de ondulações e buracos.
– Bastante gente pedala! Comecei a prestar mais atenção e tem muita gente de bike nas ruas. :)

Em breve farei novos posts sobre dicas de segurança e sobre o dia a dia de usar a bicicleta.

7 comentários em “1 mês pedalando em São Paulo

  1. Justo um mês também que comecei pedalar para quase tudo lugar. Concordo com todo o publicado por vc!! Vamos continuar pedalando!!

    ABS,

    1. Oi José!
      Que bom saber que tem mais gente começando a usar a bike como meio de transporte no dia a dia.
      Se você for de São Paulo também, qualquer dia nos encontramos pelas ruas :)

  2. Achei bem legal a sua ideia.

    È fato que qualquer atividade física muda por completo a nossa vida.

    O maior problema é que a maioria dos lugares não possuem chuveiros, este fato inviabiliza que as pessoas que façam trajetos mais longos o façam de bike.

    1. Realmente Henrique, seria ideal se ao menos os prédios comerciais disponibilizassem chuveiros e vestiários.
      Mas é possível minimizar os “efeitos” do suor, em breve postarei sobre o assunto aqui no blog.

  3. Depois que um babaca buzinou, tirou fina e me derrubou da bike, nunca mais pedalei nas ruas. Só em lugares reservados e próprios pra bicicletas. A mentalidade de todos tem que mudar MUITO, principalmente do ciclista que não respeita faixa, farol, pedestres.

    1. Que pena Philipe, infelizmente tem muito motorista “babaca” mas isso não pode impedir que a gente pedale por aí. As ruas são de todos e quanto mais bicicletas nas ruas, mais nos respeitarão!

      Realmente muito ciclista não respeita as regras de trânsito, mas isso não dá legitimidade para que os motoristas desrespeitem os ciclistas.
      Em breve farei um post sobre a importância do ciclista respeitar as regras de trânsito, tanto para segurança quanto para a imagem dos ciclistas.

      Abraços! Espero que logo perca o medo e volte a pedalar por aí :)

  4. Ei meu querido!
    Pena eu ter chegado tão tarde para auxiliá-lo, mas fica a dica para todos os amigos ciclistas…

    Vou ao trabalho todos os dias de bicicleta, moro no extremo sul de São Paulo e trabalho na Paulista, pedalo cerca de 60km por dia em média.

    Ir ao trabalho de bicicleta não é tão difícil quanto dizem, também não tão perigoso, mas para aqueles que pretendem se aventurar no trânsito acho que o essencial é ter no mínimo um pouco de preparo para acompanhar o trânsito nos trechos mais perigosos do seu trajeto – e como é importante conhecer estes trechos – também sugiro, mesmo que fique um pouco feio, um bom retrovisor, pois é de extrema importância conseguir enxergar o que se passa atrás de nós. Desde um motorista mais exaltado, até poder prever uma manobra mais audaciosa em função do que acontece a frente.

    Abs, e boas pedaladas!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares