Bicicletário Butantã está com superlotação

meme-bicicletario-butanta-1

Diariamente, várias pessoas na região do Butantã optam por utilizar o intermodal bicicleta/metrô para chegar ao trabalho e o bicicletário na estação tem um papel muito importante para que isso seja possível, porém ultimamente o bicicletário não tem dado conta do número de bicicletas.

bicicletario-butanta-1

O bicicletário do metrô Butantã é gratuito, tem atualmente 108 vagas 158 vagas (o número aumentou, veja no final do post) disponíveis e funciona diariamente das 6h às 22hs. As bicicletas não retiradas até 22h permanecerão no bicicletário até 6h do dia seguinte e podem permanecer estacionadas por até quatro dias, no máximo. Vencido o prazo, são encaminhadas ao setor de Achados e Perdidos do Metrô na Estação Sé, que funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 20h, exceto feriados.

Para deixar a bicicleta lá é necessário cadastrar seu nome, rg, telefone, número da vaga que deixou sua bike e assinar a entrada ou saída no caderno de protocolo. É um pouco burocrático, porém garante a segurança das bicicletas.

A demanda aumentou bastante após a inauguração do trecho de ciclovia na avenida Eliseu de Almeida e agora é raro encontrar uma vaga disponível a partir das 8 ou 9 horas da manhã.
Sem espaço para parar a bicicleta dentro do bicicletário, as pessoas as tem amarrado do lado de fora, porém, sem segurança, estão havendo vários furtos.

“No começo desse ano com a entrega pela metade da Ciclovia da Eliseu de Almeida (vcs devem saber dessa história, né?), simplesmente, é raro encontrar vagas nos horários das 8h-9h, horário que geralmente as pessoas vão trabalhar. E o que acontece? Prendemos nossas bikes no lado de fora do Bicicletário, afinal, precisamos pegar o metrô e voltar para casa não é opção para ninguém. Com mais demanda vindo dos lados da Vila Sônia, e o número atual de vagas estabilizado em 120 não seria surpresa que isso acontecesse. No entanto, iniciou uma onda louca de roubar bikes na frente do bicicletário. Afinal, não existem câmeras naquele corredor, nem seguranças e a própria ViaQuatro não recomenda que a bike dique do lado de fora. E aí alguém fica na muquia, outro serra a corrente e ualá! Bike nova! No dia que publiquei no Twitter, a moça do bicilcetário disse que era a 6a. em 7 dias.”
Gustavo Carrera, que utiliza o bicicletário diariamente

bicicletario-butanta-2
Bicicletas presas ao lado de fora do bicicletário

“Realmente, minha bicicleta foi furtada no dia 27/2, em frente ao bicicletário do metrô Butantã, provavelmente entre as 9 e as 13h. Fiz a reclamação na ouvidoria do metrô, busquei me informar se há câmeras no local, mas os funcionários disseram que não. E pelo que me disse uma das funcionárias do bicicletário, os furtos a bicicletas no local têm sido constantes. No mesmo dia em que a minha foi furtada, outra moça foi vítima do mesmo problema. E o “mercado negro” das bikes tem crescido. Acho que o maior problema é este: haver compradores para as bikes roubadas… Além disso, já que a prefeitura diz estar incentivando o uso de bicicleta, deveria pensar em melhorar as condições de circulação e segurança dos ciclistas, e aumentar os locais para guarda das bikes com segurança, não é?”
Tamara Castro, que teve a bike roubada em frente ao bicicletário 

Entramos em contato com a ViaQuatro, responsável pelo metrô e o bicicletário e tivemos a seguinte resposta:

Recebemos sua manifestação sobre a lotação do bicicletário anexo à Estação Butantã da Linha 4-Amarela.

Esclarecemos que a demanda por vagas nesse bicicletário aumentou de forma considerável após a abertura da ciclovia da Av. Eliseu de Almeida, recentemente.

Muitos moradores do bairro, que antes utilizavam o transporte público ou o próprio veículo para chegar à Estação, passaram a utilizar bicicletas para fazer esse percurso, usufruindo dos benefícios da nova ciclovia. Com isso, as vagas disponíveis no bicicletário têm se revelado insuficientes para atender ao repentino aumento de demanda.

Em função disso, a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela, está estudando alternativas para tentar minimizar e/ou solucionar o problema, aumentando a oferta de vagas.

Na expectativa de sua compreensão, permanecemos à disposição para eventuais esclarecimentos ainda necessários.

Atenciosamente,
Ouvidoria ViaQuatro”

Também entramos em contato com a subprefeitura do Butantã porém não tivemos resposta.

O que a lei diz sobre bicicletário no metrô?

Existe uma lei de 2007, a lei nº 14,266 sobre o sistema cicloviário, que cita, entre outras coisas, bicicletas e bicicletários em estações de metrô:

IV – agregar aos terminais de transporte coletivo urbano infraestrutura apropriada para a guarda de bicicletas;
V – estabelecer negociações com o Estado de São Paulo com o objetivo de permitir o acesso e transporte, em vagão especial no metrô e em trens metropolitanos, de ciclistas com suas bicicletas;
Art. 8º Os terminais e estações de transferência do SITP, os edifícios públicos, as indústrias, escolas, centros de compras, condomínios, parques e outros locais de grande afluxo de pessoas deverão possuir locais para estacionamento de bicicletas, bicicletários e paraciclos como parte da infra-estrutura de apoio a esse modal de transporte.
Art. 10. O Executivo deverá estimular a implantação de locais reservados para bicicletários, em um raio de 100 (cem) metros dos terminais e estações de metrô, trens metropolitanos e corredores de ônibus metropolitanos, dando  prioridade às estações localizadas nos cruzamentos com vias estruturais.
Art. 13. A implantação e operação dos bicicletários, em imóveis públicos ou privados, deverá ter controle de acesso, a ser aprovado pelo Órgão Executivo Municipal de Trânsito.
Ou seja, todas estações de metrô e terminais deveriam ter infraestrutura adequada, assim como locais de grande fluxo de pessoas. Em nenhum lugar fala sobre a capacidade dessa infraestrutura, mas é subentendido que seja uma capacidade compatível a demanda, né?

Tem tanto ciclista assim na região?
Em 2012, antes da implementação da ciclovia, a Ciclocidade fez uma contagem de ciclistas apenas na avenida Eliseu de Almeida e foram contados 580 ciclistas em 14 horas, o que dá 41 bicicletas por hora, com picos de 80 bikes em algumas horas, isso apenas em uma avenida.
Esperamos que a ViaQuatro cumpra com a palavra e aumente a capacidade do bicicletário ou ao menos instale alguns paraciclos ao lado de fora e melhore a segurança do local. Você pode cobrar entrando em contato com a ouvidoria da ViaQuatro pelo email: ouvidoria@viaquatro.com.br
—- Atualização 17/07/2014 —-
Segundo comentário do gustado aqui no post, mudaram a disposição das bikes, que agora são penduradas, o que aumentou espaço para 50 novas vagas.
Bom saber que o metrô melhorou a oferta de vagas e esperamos que essas novas vagas melhore a vida de quem vai ou quer ir de bike até o metrô.

13 comentários em “Bicicletário Butantã está com superlotação

  1. Caramba, pra deixar a bike ali fora, só com 2 U-Lock e uma corrente pra cada roda. As vezes dá pena de quem tentar ganhar a vida honestamente nesse país.

  2. Roubos de bikes há em todos os países. Aqui temos alguns agravantes. Primeiro a ineficiência da segurança no flagrante e na investigação de roubos. Segundo a impunidade desses ladrões, sendo ou não menores, a lei acha que roubar bicicletas é uma atividade cultural e que não merece punição rigorosa. Terceiro é o alto custo desse meio de locomoção considerado básico, fora o alto custo para produzir aqui dentro, peças importadas de bicicletas são tarifadas com impostos exorbitantes, aumentando em muito seu custo. Ou seja, bicicletas básicas estão passando a custar uma fortuna e sendo altamente visadas por criminosos. Discordo que quem alimenta td isso seja maldosos compradores de bikes roubadas, na maioria dos casos são vendidas como se fossem com procedência.

  3. Nas últimas semanas o Bicicletário aumentou o nº de vagas, mudando o modelo de estacionamento para “ganchos” ao invés de barras. O novo modelo suporta mais 50 vagas, segundo informações dos seguranças que fazem o controle de uso.

  4. Alguem sabe se há algum lugar para conserto de pneu (furo) próximo a estação Butantã?
    Deixei a minha bike no bicicletário pela manha e a noite quando fui pega-la de volta o pneu estava furado…

    1. Oi Rafael, desculpe a demora… nao sei se a resposta ainda será útil.

      Mas pelo que lembro, há duas bicicletarias proximas ao metrô, na esquina da rua Carmargo com a Vital Brasil.

  5. Ola, hoje pela primeira vez criei coragem para iniciar o projeto bike/metro, ocorre que ao chegar no bicicletário não encontrei vaga, o que frustou minha esperança de ir até o metro de bicicleta pois não posso ficar na dependência se terá ou não vaga. Registrei minha insatisfação na ouvidoria da ViaQuatro. Quem sabe com varias insatisfações eles não projetam ampliar o bicicletário ou disponibilizar um novo.

  6. Estou pensando em começar a ir de bike para o trabalho e a Butantã é a estação mais próxima (e ainda assim, é longe!), mas sinceramente, tenho medo de chegar às 6 no metro e não encontrar vaga, perdee tempo estacionando fora e correndo o risco de voltar e n encontrar nada. Até pq, se eu chegar e não houver vaga, o metrô não vai liberar meu embarque com a bike. Pq o horário permitido é a partir de 20:30h. Ou seja, o trabalhador tem direito a voltar de bike pra casa, mas n tem direito de ir trabalhar com ela. Um tanto quanto incoerente!

  7. O problema do bicicletario do Butanta não é a quantidade de vagas e sim os safados que fazem do espaço parte de suas casas e deixam a bike guardada por vários dias!

  8. Pessoal, como está a situação do bicicletário hoje em dia? Vou começar a descer pro metrô de bike e tenho medo de não ter espaço no horário que chegarei lá (por volta das 8h da manhã).
    Tem alguma alternativa ali nas redondezas que não seja largar a bike na rua? Algum estacionamento que aceite deixar a bike lá dentro ou algo do tipo?
    Abs

    1. Oi Guilherme, não temos passado pela região ultimamente.
      Se souber de alguma coisa, passa aqui pra contar pra gente!

      Abraço!

    2. A opção, em caso de emergência (falta de vagas e não encontrar nenhum outro lugar seguro para deixar a bike) é seguir até a Estação Pinheiros e deixar a bike lá. O bicicletário de lá está com certa osiosidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares